quinta-feira, 22 de julho de 2010

Inspire fundo... E inspire-se!

De vez em quando a palavra foge do lápis, como o sorriso foge da cara, como o cantor foge do tom... E horas a fio pensando, pensando, virando a cabeça ao avesso não dá em nada... E é aí que a gente percebe que não se cata poemas como se cata feijões!
Rimas vazias? Não servem!
Uma dúzia de palavras bonitas? Também não!
Queremos mais. Queremos amor feito em verso, queremos fogo no refrão! Queremos sentir em prosa, texto tecendo paixão...
Eis o que se quer – nem mais, nem menos – sentimento!
Escrevi esse texto tentando não ter grandes pretensões, além, é claro, da inicial: a de tentar trazer a tal da inspiração!


Inspire-se...
Em quê?
Que tal... Em você?
Ou então em quem fez do teu eu, esse você?
Inspire-se...
Inspire-se em quem te inspirou a viver
E continua te inspirando.
Em teu pai – herói ou bandido?
Que tal ser humano – como eu, como você?
Inspire-se...
Em tua mãe acordada, sonolenta, mas velando teu sono...
Inspire-se...
Inspire-se nas palavras de apoio que recebeu quando mais era preciso
E também nos silêncios de apoio – igualmente necessários!
Inspire-se...
Inspire-se naquele homem que passa...
O quê? Você não o conhece?
Que seja! Ele vive e sofre e ama
e ri e chora e sonha
e planeja o fim de semana
assim como você!
Por que não se inspirar nele?
Inspire-se!
Inspire-se na canção que escutou naquele dia
e que até hoje ressoa em tua cabeça...
Inspire-se na pipa, quase viva, ganhando o céu
ou se preferir resgate em sua memória
o menino a manejando do chão...
Inspire-se nele, no que foi e no que em algum canto de ti
ainda é...
E sempre há de ser!
Inspire-se na criança que viu brincando,
tão parecida com você!
Mas sem brinquedos comprados em loja,
tão diferente de você!
Inspire-se no riso que ela deu
e na lágrima que você chorou...
Inspire-se naquele show!
Lembra? Sente de novo? A adrenalina, a alegria em tuas veias...
Poder encarar e encarnar o que antes sonhava...
Há tanto, afinal, a te inspirar!
Inspire-se naquelas palavras desencontradas...
Elas afinal não se juntaram em um belo poema?
Inspire-se naqueles sorrisos quase ao acaso...
Eles afinal não te tiraram do ocaso em que estava?
Inspire-se nos beijos de amor descontrolados...
Nas corridas desembestadas...
Nas alegrias desvendadas...
Em uma tarde qualquer...
Em um copo de suco de laranja...
Em uma bronca de velho ou em uma risada de criança.
Inspirar-se é desvendar, é descobrir, é despertar...
É encontrar...
Lá fora,
Aqui perto,
Ou aí onde você está!
O que resta?
Inspirar!
Inspire-se... E inspire.

4 comentários:

Ismael Alves disse...

lindo! lindissimo texto! sem duvida, um texto ao qual nos inspira a viver! ...e a lembrar da magica que tem as coisas simples da vida! big beijo.

Beatrice Monteiro. disse...

:D!!

Verônica disse...

Nossa! To sem palavras menina! Amei o texto!*_* Lindo demais! Me fez pensar tanto! Lembrar de algumas coisas, sorri com outras, e a pensar que tenho que ficar mais atenta a pequenos detalhes para por no papel, não me liguei que podia me ajudar a me inspirar,rs. Continue escrevendo...

Beatrice Monteiro. disse...

Comentaram aqui duas pessoas que definitivamente me inspiram a escrever... E a viver! Amo vocês.