sábado, 16 de janeiro de 2010

Três Pontos (...)

 
Há quem goste de ver o pôr-do-sol!
Há quem diga que saudade é partida, e teu gosto é mel!
Que o tédio é filha do doming
o,
e que a matemática não é chata(!).
Há quem diga que amar é tudo ou perca de te
mpo!
Haverá quem viva um dia! e outro a ete
rnidade!
Um alguém que viverá do medo! ...ou de um sonho(!).
Haverá a dor da perca... mas será saudade!

... a armadura, que esconderá a lágrima que
é nobre
Os devaneios de inocência e vaidade.

Haverá pecado... fogo na aldeia... dia da bandeira!
Para alguns... o mistério, não trará tesão!
Para alguns, não passará de um dia normal.

E para outros... a revolução!(.)
E nesse dia...

o homem não terá medo da vida! O poeta da amante!
Não haverá o 1°, nem o único. Mas o todo!(.
)
Comemoraremos a morte dos que foram

Nosso Deus não será temido, mas amado!
E Jesus será o sorriso dos que amamos(!).

E assim um dia,

(quando) desejar teu sexo não será vergonha...
Serei o amado. Sereia amante e grande amor!
... A amante não será a outra... mas a amad
a!(.)
Nossos sonhos não serão mais utopia!

Nossas mãos não serão mais dois estranhos.
E a vida será a ventura de viver... sem medo!

Um comentário:

Beatrice Monteiro. disse...

Acho que sem medo, a vida ia deixar de ser uma grande aventura.
Mas deve ser o paraíso, viver sem medo...